Posts

5 Podcasts para você acompanhar

Os podcast tomaram espaço nos meios de comunicação.

Podcast nada mais é do que uma mídia de transmissão de informação. É como se fosse um programa de rádio, porém fica disponível para que você possa ouvir a qualquer hora e onde estiver. A outra vantagem é que os podcasts são separados por conteúdo, então você pode escolher o assunto sobre o que deseja ouvir.

Para te ajudar, fizemos uma lista com alguns dos mais importantes podcasts sobre mídia social, design, marketing e tecnologia:

  1. Yellowcast
    Costumam falar sobre design, comunicação e claro, redes sociais.
    Não costumam manter uma frequência exata mas tem sempre algum conteúdo bem bacana pra conferir lá.
    Os acompanhe no Soundcloud.
  2. Código aberto
    Aqui você pode conferir o que dizem os grandes nomes do mercado de marketing.
    Vários profissionais influentes da área costumam conversar sobre duas ideias e o que pensam pro futuro na área.
  3. Fábio Prado 
    Grande nome quando o assunto é facebook ads.  Um dos profissionais com maior autoridade no assunto.
    Lá você poderá encontrar muitas dicas de facebook e instagram.
    Acompanhe no soundcloud.
  4. VDBcast
    Podcast do viver de blog. Lá você irá encontrar informações sobre criação de conteúdo, produtividade, marketing digital, entre outros assuntos relacionados a área.
    Confira no soundcloud.
  5. Canaltech
    De forma bem clara lá é possível entender um pouco melhor do que está acontecendo no mundo da tecnologia.
    Além de sempre fazerem análise sobre novos produtos lançados no mercado e descomplicar os termos.
    Confira no soundclud. 

Aproveite para saber mais sobre o mundo do marketing e como você pode melhorar os resultados da sua marca.

Tem mais algum poscast para indicar ou gostaria de tomar um café para falar sobre marketing?
Nos envie uma mensagem, vamos adorar conversar com você ☕
📱 (48) 9 9848-1252
📧 contato@effortdigital.com.br

Como montar o seu Mídia Kit?

Mídia Kit nada mais é do que uma apresentação de meios de comunicação digital, site ou redes sociais, bem como a precificação dos espaços. Pode ser usado por empresas, ou veículos de comunicação, e atualmente também é muito usado por blogueiras.

O mais importante de um mídia kit é ser original, ter a sua cara, da sua marca, uma identidade só sua. Para te ajudar vamos separar em tópicos para entender melhor como funciona.

  1. Pra que serve?

Como já mencionado, é um arquivo para apresentar um site, blog ou rede social que contenha dados de acesso, público, preços e demais dados que possam interessar ao anunciante.

É uma espécie de vitrine onde é destacado todos os pontos positivos de anunciar na plataforma em questão, afim de orientar e cativar o possível patrocinador.

 

  1. Como fazer a apresentação?

O mídia kit pode ser feito em uma página do seu site ou em PDF para enviar para quem solicitar os valores. Você deve informar todos os seus contatos e se certificar de que estejam bem visíveis neste documento e seguir uma lógica das informações.

 

  1. Design

Este é um passo muito importante, porque você estará apresentando a sua marca, o seu trabalho, portanto é preciso que ele tenha a sua identidade e seja agradável.

Não coloque informação demais, aqui falo em termos de cores e como distribuir o texto.

Lembre-se a primeira impressão é a que fica e que uma imagem vale mais do que palavras. Bem clichê, mas pura verdade.

Você precisa ter um material de fácil leitura, agradável e de forma clara, objetiva.

O uso de gráficos ajuda muito a leitura dos dados, como por exemplo o perfil do público.

 

  1. Segmento

Afinal, você fala sobre o que? Moda? Viagens? Comida?

É preciso que você coloque de forma direta qual o tema do seu trabalho. É importante ter um foco, assim fica mais fácil para o patrocinador saber se o assunto tem relação com a marca dele ou não.

Aqui também podemos falar sobre os dados.

Você pode colocar todos os dados que julgar interessante.

Coloque informações dos leitores como dados demográficos: sexo, idade, localidade etc. essas informações você consegue direto pelas métricas das redes sociais.

 

  1. Pesquise

Além dos dados citados anteriormente, tem outros que podem ser importantes também, e para saber você pode fazer uma pesquisa com o seu público.

Isso vai mostrar ao anunciante que você conhece de fato e fez a lição de casa.

Dados como: consumo de compras, escolaridade, renda, quantidade de horas na internet, que tipo de produtos consomem pela internet, entre outros dados serão muito importantes para o seu patrocinador, além de ser um diferencial para o seu negócio, assim você terá muito mais chances de fechar o anúncio.

 

  1. Estatísticas: números são importantes

São importantes quando são os números corretos, por exemplo, número de seguidores é importante, mas quanto dessas pessoas realmente interage? número de visitantes é muito importante, mas por quanto tempo esse visitante fica na sua página? E quais as ações dele?

É preciso medir o que é mais interessante para o possível anunciante.

Portanto entenda que:

  • Visitante: é aquele que sempre acompanham o seu trabalho, é o número que visitou uma vez e sempre volta para a sua página.
  • Visitante único: visitou apenas uma vez e nunca mais voltou.
  • Visualização de página: especificação da visita, começam os dados de ações dentro da página.
  • Taxa de rejeição: é o número de visitantes que entrou no site e ficou pouco tempo, ou entrou em apenas uma página e já saiu.
  • Tempo de permanência: e o tempo que o visitante costuma ficar no seu site e em cada página.

Vale lembrar que você nunca deve mentir sobre estes dados, não aumente os números, tenha uma apresentação sincera, para evitar problemas com os anunciantes, afinal, não é legal prometer algo e não cumprir.

 

  1. Publicidade

Você deve informar também se o seu blog apareceu em jornais, revistas, ou citado em outros sites.

Também vale colocar prêmios que você tenha sido indicado ou que recebeu.

Tudo isso reforça a sua credibilidade.

 

  1. Espaço e preços

De que forma será feito o anúncio e qual o preço?

Aqui é necessário descrever todos as formas de anunciar no seu blog ou rede social.

Banner no site, post patrocinado, vídeos, texto no blog, sorteios etc.

 

  1. Depoimentos

Muito importante também são os depoimentos, tanto do seu público, e muito mais de quem já anunciou. Por isso faça pesquisa de satisfação com anunciantes, para ter esse material e deixar o seu mídia kit muito mais completo.

Para o anunciante é muito mais fácil a decisão quando ele vê a opinião de quem já anunciou, da experiência de outras pessoas.

Coloque um “o que dizem sobre nós” em seu mídia kit.


Um mídia kit precisa transparecer a identidade da marca, ter todos os dados importantes, tanto de métricas quanto de pesquisa. Para ter muito sucesso com o mídia kit é necessário expressar de forma clara todas as vantagens de anunciar no blog ou rede social.


Precisa de um mídia kit para a sua marca? Fale conosco, podemos lhe ajudar.

(48) 9 9848-1252

contato@effortdigital.com.br

 

 

CTA: Chame para a ação

CTA é a sigla para Call to Action, ou seja, é uma chamada, que pode ser visual ou textual, para que o visitante de uma página realize alguma ação, desta forma, é uma ótima estratégias para gerar leads (contatos de clientes em potencial).

Existem diversos tipos de CTA’s, pode ser o link para um outro post relacionado ou uma oferta de algum material, que pode ser um e-book.

Para ter um CTA eficiente é preciso escolher o melhor formato para o perfil do seu negócio, e é importante que a oferta chame a atenção do leitor para que ele clique e realize a ação que você espera, e assim você terá um novo lead.

É preciso também que você tenha bem claro um objetivo na hora de criar um CTA, que pode ser por exemplo:

  1. Gerar trafego para outro artigo do blog;
  2. Inscrições em newsletter;
  3. Fazer download;
  4. Compartilhar, curtir ou comentar;
  5. Seguidores nas redes sociais;
  6. Assistir a um vídeo;
  7. Responder a uma pesquisa;
  8. Participar de um evento, ou uma live; etc.

Você pode utilizar uma CTA em várias partes do site ou outra plataforma, pode ser na home do site, nos artigos do seu blog, nas redes sociais, no e-mail marketing, em anúncios, vídeos, em ofertas entre outras.

Existem também os chamados CTA’s inteligentes, que são direcionados para visitantes recorrentes, ou seja, que já conhecem a sua marca, serviço ou produto, é neste momento que você pode gerar conversões, vendas.

Por isso é importante criar segmentação para a sua oferta, para que ela seja direcionada a quem realmente importa, o seu potencial cliente.

Seguindo estes passos você terá um CTA eficiente e poderá prospectar novos clientes para o seu negócio.

Assine a nossa Newsletter

contato@effortdigital.com.br / (48) 9 9848-1252

Você faz sorteio para conseguir seguidores? Não deveria.

Nós brasileiros passamos muito tempo na internet, principalmente nas redes sociais, segundo pesquisas, passamos cerca de 3 horas e 33 minutos do nosso dia conectados. E nas minhas horas nas redes sociais pude notar o grande número de sorteios que ainda existem no facebook e instagram.

Se eu participo desses sorteios?  Alguns sim. Se eu compro dessas empresas que fazem sorteio? Não.

Os famosos sorteios pedindo para curtir, compartilhar e marcar amigos por si só já são um “tiro no pé”.

Como eu disse, eu participo de alguns sorteios, curto a página, deixo de seguir no mesmo momento e não interajo com a marca, eu, assim como a grande maioria, só estava interessada no prêmio.

No instagram a mesma coisa, eu sigo, passou o sorteio eu deixo de seguir. Assim fazem muitas outras pessoas, ou continuam seguindo mas não compram ou interagem.

A pergunta é: Porque você faz sorteios?

Para conseguir um número de curtidas ou seguidores? Ou pra vender mais?

Se a resposta for sim para as duas perguntas,  você está conseguindo a primeira, mas só isso, números, métricas de vaidade. A segunda você tem 99,99% de chances de não estar conseguindo.

Fora o desperdício de tempo e investimento para fazer sorteios nas redes sociais, 2 pontos deveriam ser avaliados por você.

  • O facebook proíbe pedidos como: “compartilhe na sua linha do tempo” ou “compartilhe na linha do tempo do seu amigo” em troca de um prêmio. Neste a penalidade pode ser: sua marca ser bloqueada por algum tempo ou pior, excluída caso você ganhe mais advertências;

 

  • E mais importante, você sabia que qualquer sorteio deve ser autorizado e registrado pela Caixa Econômica Federal? Sob pena de multa.

Você pode saber mais na LEI No 5.768, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1971 e na Portaria nº 41, de 19 de fevereiro de 2008

Não arrisque a imagem da sua marca, não faça sorteios nas redes sociais em troca de likes. Na internet também é muito comum a compra de likes e seguidores, como já mencionado, estes também serão apenas números que não acrescentarão em nada a sua empresa.

Se você deseja atrair clientes de verdade crie conteúdo de qualidade e mantenha uma frequência de publicações. Você pode conferir mais dicas clicando aqui

O mercado negro nas redes sociais

Já falamos em outras publicações que é preciso tomar alguns cuidados nas redes sociais, levando em conta que muitos influenciadores, blogueiros e até empresas compram seguidores e likes. Então é preciso investigar antes de contratar um serviço de divulgação.

Nas últimas semanas tornou-se quase que viral as notícias sobre o fake Eduardo Martins. Ele mantinha um perfil no instagram e se dizia fotografo da ONU. Ele enganou até canais de notícias. Como a BBC Brasil:

Em 7 de julho de 2017, a BBC Brasil publicou um texto apresentando fotos e vídeos que seriam de autoria de um brasileiro que se apresentava para seus mais de 100 mil seguidores no Instagram como Eduardo Martins, fotógrafo da ONU. Após a publicação do conteúdo, surgiram suspeitas não apenas sobre a autoria das imagens enviadas como também sobre a verdadeira identidade de Martins. A BBC Brasil começou a investigar o caso há um mês e, pouco a pouco, os elementos de uma história construída por dois anos começaram a ruir. Diante das suspeitas e do risco de violação de direitos autorais, o conteúdo original foi retirado do ar. Pedimos desculpas a nossos leitores pelo engano. O caso servirá para reforçar nossos procedimentos de verificação.

A história era muito bem construída para encantar a todos: “um fotógrafo brasileiro, jovem, loiro e bonito, que havia superado abusos na infância e uma leucemia no início da vida adulta e se lançara às principais zonas de guerra do mundo, entre elas Iraque e Síria, para registrar o sofrimento humano.” Entre fotos da guerra, Eduardo também postava fotos de viagens pela Austrália e seu suposto hobby, o surf.

Assim o encantador fotógrafo postava imagens com alma. O problema é que nenhuma das fotos postadas eram dele, muitas fotos era copiadas de outros fotógrafos invertidas, retocadas e postadas como se fossem em outra localização.

Foi muito fácil pra ele criar toda uma história, Eduardo Martins teve até namoradas virtuais, que sem querer, se envolveram e ajudaram a divulga-lo, elas nunca tiveram contato pessoal com ele. Após descoberto a farsa ele excluiu sua conta no instagram e whatsapp, provavelmente para não ser encontrado, já que as investigações estavam se aproximando de descobrir quem estava por trás do fake.

Existem também agências especializadas em criar “fake News”, noticias falsas, tudo para conseguir visualizações no site e conseguir dinheiro de publicidade. Ou até mesmo são contratados para criar notícias falsas sobre pessoas públicas, etc.

E quantas vezes encontramos perfis com um numero enorme de seguidores, mas quando vamos ver as publicações tem 100 curtidas, não tem como um perfil ter 17K e ter somente 200-300 curtidas nas publicações e poucos comentários. Se você for contratar um influencer ou blogueira para divulgar seus produtos, desconfie do grande número de seguidores e pouco envolvimento. Tem algumas empresas que também compram seguidores e curtidas nas páginas, não se deslumbre com estes números.

Você só vai ter resultados com seguidores reais. Não compre likes, crie conteúdo de qualidade e alcance clientes e admiradores de verdade.

5 Dicas para melhorar seu desempenho nas redes sociais e vender mais

A gente sempre fala que as redes sociais funcionam hoje como uma vitrine para os seus produtos ou um informativo dos seus serviços, por isso é preciso também tomar alguns cuidados.

Abaixo vamos dar algumas dicas para vender mais nas mídias sociais, o que de verdade importa para você conseguir um desempenho melhor.

Dica 1: Não compre  seguidores ou fãs

Já citamos algumas vezes também o perigo de fazer sorteios mediante curtidas na fanpage, seguir o perfil e, principalmente, pedir para compartilhar uma publicação em troca de participação em sorteio, vai contra as politicas do Facebook (leia aqui). E além de ir contra as regras da rede social, esses novos fãs que você acaba de obter não estão interessados em comprar o seu produto ou serviço, só estão atrás do sorteio, logo esse número será só uma métrica da vaidade.

Também existe a venda de seguidores e curtidas, sim, você não leu errado, existe pessoas que vendem seguidores e curtidas, tem sempre alguém querendo tirar vantagem não é mesmo? Muito cuidado, este número não irá acrescentar em nada ao seu negócio, você estará boicotando a sua marca ao fazer isso.

Dica 2: Conheça seu público alvo

Esse é o ponto crucial para obter um retorno maior nas redes sociais, precisa saber o que os seus clientes procuram, de que forma você pode ajuda-los. Para tanto, é preciso criar conteúdo que interesse a eles.

Quando alguém curte a sua página, por exemplo, é possível verificar, através da ferramenta gratuita facebook insights, informações valiosas para você, como por exemplo: Engajamento do público com as suas publicações; Conhecimento sobre o público (faixa etária – organizada por gêneros -, média de curtidas, número de comentários, qual o alcance de suas publicações, além de dados geográficos dessas pessoas).

Dica 3: Crie conteúdo relevante

Após conhecer o seu público, é importante falar sobre assuntos que despertem o interesse do leitor/fã, fazendo com que ele deseje comprar. Utilize uma linguagem próxima ao seu público, com imagens e legendas alinhadas, as hashtags também podem ajudar a aumentar o seu alcance nas publicações, levando em conta que alcança públicos além dos que visitam o seu perfil. Você também pode utilizar o método UCG, conteúdo gerado pelo consumidor, como por exemplo incentiva-lo a postar uma foto do seu produto, ou solicitar um depoimento, este tipo de conteúdo irá gerar maior autoridade a sua marca.

É importante, e interessante, que você use a linguagem de acordo com o seu público, por exemplo, se o seu público alvo é adolescentes, você pode utilizar uma linguagem mais divertida e informal, e até mesmo gírias, porém sempre respeitando as normas gramaticais, claro.

Dica 4: Promova a sua marca

Invista em publicidade, ela gera vendas. Utilizando as ADs por exemplo, você consegue direcionar a grupos do seu público alvo e, assim alcançar um número maior de pessoas que ainda não conheciam a sua marca. O Facebook Ads  permite fazer campanhas segmentadas, aos diversos tipos de usuários, impulsionando publicações com o orçamento que você adicionar monetariamente, você pode estipular o valor que desejar investir e a ferramenta irá lhe mostrar a estimativa de alcance. Você ainda pode participar de eventos e aproveitar para divulgar nas redes sociais que você estará presente.

Se você tem um site de e-commerce, não se esqueça de colocar o link de venda do produto que você está oferecendo em sua publicação, assim fica mais fácil pro cliente comprar.

Dica 5: Acompanhe os resultados

Não só acompanhar o número de curtidas, mas observar todas as métricas, como número de visualização da postagem, impressões, taxa de envolvimentos e comentários, e até mesmo ocultação do post ou denúncias de spam. Todas essas informações você pode acompanhar no Facebook insights.

E o mais importante é, depois de verificar as métricas, traçar elas junto aos objetivos e metas, observar o retorno desta campanha, caso o objetivo fosse manter a marca junto ao público, observar se os números de visualizações e envolvimentos está dentro do esperado, se for obter leads ou vendas observar quantos clientes ou contatos foram obtidos a partir deles, observar os KPIs, indicadores de desempenho.

Seguindo essas 5 dicas você conseguirá um posicionamento de autoridade em suas redes sociais, dependendo do seu ramo, é interessante também manter um blog disponibilizando conteúdo gratuito para os seus clientes.

Cuidado com as métricas da vaidade

A internet trouxe um mundo de possibilidades para os negócios, isso não é novidade, e com eles veio a possibilidade de medir o alcance de nossas ações nas mídias online. É possível saber quantas pessoas viram uma publicação, o alcance que ela teve de fato, o que não é possível com um outdoor ou publicação em jornal, no off-line o alcance é apenas uma estimativa que poderá ou não ser alcançada. Também é possível saber o número de pessoas “interessadas” pelo o seu conteúdo, porém, ter muitos fãs ou seguidores nada tem a ver com sucesso da marca, e ainda tem alguns cuidados a tomar, por isso interessadas entre aspas.

Vamos começar conceituando métricas:

Segundo Avinash Kaushik, o pai da web analytics, uma métrica é um número. Este número pode ser o número de leads, de visitas em um site, entre muitas outras comparações. A métrica por si só não são uma garantia de obtenção de resultados, para isso é preciso traçar as métricas com os objetivos e obter as chamadas KPI (indicadores de desempenho).

Levando em consideração apenas as métricas, por exemplo, podemos cair na pegadinha das famosas métricas da vaidade, que nada mais são do que número de fãs de uma página, seguidores de um perfil do instagram, número de curtidas em uma publicação, número de acesso em um site/blog, etc.

Sua fanpage tem muitas curtidas, muitos seguidores, mas qual a porcentagem desse número que realmente compra de você ou interage com a marca, ou que leu o texto até o final e encontrou o que precisava no seu blog?Na maioria das vezes nem metade. Já vi muitos perfis com um número elevado de curtidas e/ou seguidores, com 5 ou 10k, ou até mais, porém, nas publicações nem chegava a 50,100 curtidas, muito menos comentários ou compartilhamentos.

Existem sim os chamados “fãntasmas”, eles curtiram sua página, mas não interagem, estão ali só para observar ou fazer parte do número. Eles podem ser maiores se você realiza sorteio pedindo para curtir, seguir, e/ou compartilhar, por exemplo. Por isso, não se preocupe se a sua fanpage não tem um grande número de fãs, o importante é você obter resultados, alcançar clientes de verdade, fãs que interajam. Não se deslumbre com os números, trabalho de verdade leva tempo, e aos poucos, criando conteúdo você terá resultados e alcançará mais clientes.

Um cuidado extra que você deve tomar, é caso queira fazer uma parceria com um digital influencer ou blogueiro, você sabia que tem muitas pessoas que compram curtidas e seguidores nas redes sociais? Sim, tem mercado para isso também, existem algumas empresas que vendem seguidores e curtidas.

Você já deve ter visto alguns perfis que misteriosamente em pouco tempo obtém um K junto aos seguidores do instagram, em um dia tem 2 mil seguidores e no outro 16 K, isso não existe, este perfil não tem este número de seguidores reais, e você consegue perceber isso ao ver o número de curtidas na publicação, as vezes de 100 a 200 no máximo, as vezes um pouco mais.

Existem muitas pessoas preocupadas com essas métricas de vaidade, e você tem que tomar cuidado para não cair neste golpe, ao investir em um influenciador digital que diz ter 16K de seguidores, você tá investindo em um negócio que não terá o retorno esperado. Sim, isso é errado, poderia criar um publico real, só que leva tempo, e ele(a) não quer investir seu tempo, criando conteúdo de qualidade, para conseguir atrair um número grande de seguidores.

Portanto, tome cuidado, fiscalize, para então tomar a decisão de contar com um influenciador para divulgar seus produtos, para que de fato alcance o publico alvo da sua região, o que você almeja atingir. Não fique chateado se você perceber isso, só não deixe que o seu negócio caia nessa furada, e tenha calma que com tempo e conteúdo de qualidade os seguidores vão surgindo ;).

Internet das coisas (IoT – Internet of Things).

Quando falamos em revolução tecnológica não podemos deixar de falar de internet das coisas, mas afinal, o que é isso?

É a forma como todas as coisas são conectadas e se comunicam entre si e com os usuários. Todos os objetos são conectados por internet. O resultado disso é um mundo mais inteligente e responsivo. Mas de que coisa estamos falando? De qualquer coisa. Por exemplo, você chega em casa depois de um longo dia de trabalho e destrava a porta não com uma chave, mas usando o aplicativo no seu celular, acende as luzes, liga a TV, controla a temperatura do ambiente, coloca o forno para aquecer para assar o jantar, recebe uma confirmação de recebimento do mercado do pedido que receberam mediante o aviso da sua geladeira e maquina de lavar, que enviaram um aviso quando acabou o leite e o sabão em pó, tudo isso enquanto tá deitado no seu sofá fazendo tudo pelo celular ou tablet, futuro? Não mesmo, isso é real, estamos vivendo essa era.

Aos poucos vamos tendo em nossas vidas objetos com tecnologia IoT. Como por exemplo, a pulseira inteligente, que registra movimentos dos usuários para ajudá-los a entender melhor sua saúde. Sem falar nos novos espelhos, além de refletirem, possuem no fundo telas parecidas com a de um celular ou de uma smart TV,  capazes de mostrar feeds de notícias, vídeos e outras informações, como analisar sua pele e dar dicas de cuidados e beleza.

Podemos também ter assistentes virtuais, como a Siri do Iphone por exemplo, porém, nestes casos,  eles são capazes ainda de auxiliar nas tarefas domésticas, como atualizar a lista de supermercado, tocar um determinada música, ligar e desligar outros aparelhos da casa, telefonar para um familiar e assim por diante.

Incrível não é mesmo?

Dica de série: O seriado Black Mirror mostra muito bem questões da realidade da internet das coisas de uma forma talvez, até um pouco chocante, trata de um conflito entre a tecnologia e a natureza humana. Vale a pena assistir para refletir. A série tá disponível na Netflix. Confesso que fiquei refletindo por algum tempo, e até com um pouco de receio, com alguns dos episódios, já que eles tratam de uma forma bem extrema.